Os Mascarados Desmascarados

Esta história dos Irmãos Metralha foi publicada originalmente em 1977, e republicada recentemente.

Maltratar os Metralhas era um prazer para papai. Para eles, estes vilões eram a personificação da burrice que existe em toda maldade. (Aliás, todos os vilões de papai, até os que se acham espertos, são na verdade muito pouco inteligentes).

A graça da história está no exercício – frustrado todas as vezes – de eliminação. Os Metralhas estão “manjados” demais em Patópolis, e resolvem se disfarçar, mas são sempre “entregues” por algum detalhe mais ou menos óbvio:

Vestem máscaras, mas não escondem os números nas camisas. Mudam de camisa, mas esquecem o boné. Mudam de chapéu, mas não de sapatos.

E quando no final resolvem se fantasiar de Mancha Negra são reconhecidos pelo Vovô Metralha por causa do jeito de andar, e pela polícia pelo timbre da voz. Ou seja: não adianta, todo mal é burrice, e será desmascarado pelo que é, no final.

Anúncios