O Mistério De Pueblo Bonito

Publicada pela primeira vez em 1985, esta história começa com os Escoteiros Mirins coletando artefatos antigos de alguma tribo de nativos norte americanos que um dia viveu em cavernas.

Não é incomum ver, principalmente em histórias estrangeiras, personagens como os membros da família Pato, e especialmente Huguinho, Zezinho e Luisinho, os sobrinhos do Donald, no deserto recolhendo artefatos ou garimpando sem consideração alguma por métodos de arqueologia, por exemplo. Como se fosse só chegar, catar e vender, e tudo bem. Talvez isso seja parte da cultura lá deles, mas a minha paixão por história e arqueologia me faz ter calafrios com cenas como essas.

Em todo caso, a expedição em busca de artefatos históricos é, pelo menos nesta trama, só uma desculpa para tirar os meninos da cidade, do ambiente conhecido e “normal”, onde só acontecem coisas corriqueiras, e fazê-los entrar nas cavernas. Esses ambientes subterrâneos eram muito usados por papai até como uma metáfora para o subconsciente, aquela parte de nossas mentes que foge à lógica do dia a dia e é capaz de imaginar as coisas mais malucas e reagir a elas como se fossem reais. Era uma maneira que ele tinha de se dar permissão para soltar a imaginação e criar com mais liberdade.

E papai não está sozinho nisso. Há na literatura infantil muitos exemplos de “universos alternativos” acessados por passagens subterrâneas que já fizeram a alegria de gerações de psicanalistas. Alice no País das Maravilhas, de Lewis Carol, é certamente um deles. Há pouca diferença entre o buraco do coelho e as cavernas de papai.

Dentro dessas cavernas os meninos encontram uns indiozinhos baixinhos que se comportam de um modo muito estranho, chegando inclusive a flutuar no ar.

HZL indios

Está claro que não são índios normais, e tampouco são fantasmas, como alguns dos outros escoteiros quiseram crer. No final se revela que são alienígenas, mas o mais engraçado é que eles não deixam de se vestir como índios e nem de falar daquela maneira arrevesada e estereotipada, nem mesmo quando já estão dentro da nave, longe dos meninos e a caminho do seu planeta.

HZL indios 1

Era de se esperar que após se verem livres da presença de estranhos esses seres fossem “tirar o disfarce” e assumir algum outro formato, falar de algum outro modo ou pelo menos trocar as roupas de índios por uniformes espaciais, mas não é isso o que acontece. E é exatamente por isso que esse final é tão engraçado.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s