Na Terra Dos Tasca-Lasca

História do Zé Carioca, publicada pela primeira vez em 1972.

O que começa inocentemente como um passeio próximo aos Arcos da Lapa num dia de verão se transforma numa complexa aventura, com mistério para resolver e tudo, a partir do momento em que o Zé encontra uns índios estranhos.

A graça principal da coisa toda fica por conta do choque cultural entre os índios e o nosso herói, que começa pelo modo como eles falam, com todos os verbos no infinitivo. Especialmente hilário, porque totalmente inesperado, é o meio de transporte dos forasteiros. Quando eles se referem a um “grande pássaro”, o Zé chega a pensar que seria apenas uma maneira deles de se referir a um avião:

ZC gde pass

Na floresta, descobrimos que a tribo está sob ataque de saraivadas diárias de flechas, e sofre até tentativas de incêndio. Aos poucos o mistério vai sendo revelado ao leitor, e o próprio Zé chega no final e meio por acaso à solução de tudo, enquanto tenta fugir da tribo em mais um dos seus “ataques de coragem” às avessas.

ZC buga

Numa época em que o Zé Carioca ainda tinha um universo limitado de personagens coadjuvantes, essas aventuras em estilo “anti-Mickey” eram comuns no lápis de papai.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s