O Ladrão Robadô

História do Urtigão, criada em 1982 e publicada pela primeira vez em 1986.

O título da história reflete o modo de falar do Urtigão, cheio de erros de português e regionalismos. De um modo simples e despretensioso, este é um mistério policial, com um desaparecimento a ser investigado, e uma divertida surpresa no final.

Nosso herói vai a Patópolis, mais exatamente à feira dos fazendeiros, para investigar o sumiço de uns “bichinhos” que ele acredita que foram roubados de seu sítio. Enquanto ele espera à mesa de uma lanchonete (para não atrair a atenção) até que algum suspeito apareça, os sobrinhos do Pato Donald aparecem, dispostos a gastar suas mesadas com sucos e sorvetes.

Urtigao meninos joca

Na descrição que ele faz dos bichos para os meninos, os desaparecidos fazem “có có có recó”, o que nos faz pensar em galinhas. Ao mesmo tempo fica a dúvida, pois dificilmente o experiente sitiante Urtigão não saberia o que é uma galinha. A principal pista do nosso mistério está aí: cacarejam, mas não são galinhas. Do jeito que o caipira fala, o leitor fica na dúvida até mesmo se são pássaros.

Urtigao meninos

Depois de causar a maior confusão na feira ao perseguir suspeitos e derrubar e quebrar coisas, gastando todo o dinheiro da colheita para pagar os prejuízos, o Urtigão deixa que os meninos o levem até a casa do Donald, para ver se o tio pode ajudar em alguma coisa. No caminho, o capiau ainda deixa escapar que os bichinhos desaparecidos são azuis, o que causa estranheza nos meninos. Que raio de bicho é esse? Será que o Urtigão finalmente endoidou?

Por coincidência, é no quintal dos meninos que os “bichinhos” estão. São pássaros, afinal de contas. Periquitos australianos, azuis como um céu de primavera, empoleirados numa árvore e cacarejando barulhentamente como galinhas. Não foram roubados, mas simplesmente fugiram em bando para explorar a região.

Urtigao periquitos

Reza a lenda que esses passarinhos podem aprender a falar, mas eu cheguei a ter alguns, e apesar dos nossos esforços “educacionais”, nunca ouvi sair deles outro som que não fosse nada mais que o natural para a espécie.

Enfim, a explicação para o cacarejar dos periquitos é que eles foram criados no galinheiro, por falta de lugar melhor no sítio. E por falar em galinhas, uma das cenas de bagunça na feira tem uma divertida correria atrás de algumas delas. Esta é uma lembrança de infância de papai, que quando criança morou numa fazenda e não raro caçava galinhas no terreiro para o almoço.

Urtigao galinhas