As Férias Do Prof. Pardal

História do Prof. Pardal, de 1975.

Que o inventor maluco é “workaholic” todo mundo sabe. É difícil para ele parar de trabalhar, especialmente quando está inspirado, ou tem um projeto sob encomenda para entregar. Sendo ele uma espécie de “artista freelancer” das invenções, isso é até compreensível (reza a lenda, aliás, que freelancers não dormem: se têm trabalho é porque precisam trabalhar, e se não têm trabalho ficam insones de preocupação).

No presente caso o Pardal está mais uma vez trabalhando noite adentro, enquanto o Lampadinha e o Pascoal  insistem que querem férias.

Como sobrinho de inventor inventorzinho é, o pequeno resolve passar o tempo projetando uma super barraca de acampamento, aquela barraca dos sonhos de todo “caipira da cidade” quando resolve campar. É nesse momento que o inventor “adota” o projeto do sobrinho:

Pardal barraca planos

Tem gente que sonha em acampar e ter mais contato com a natureza, mas ao mesmo tempo não suporta a ideia de ter de se separar dos confortos de uma casa “de verdade”. E esta barraca parece ser a resposta perfeita para esse dilema.

Pardal barraca

Facílima de montar ao toque de um único botão e equipada com todos os confortos de um lar da cidade, a tal barraca é tão parecida com uma casa, tão confortável, que dá ao Pardal até vontade de… trabalhar. E assim papai não apenas devolve a trama ao início como modo de terminar a história, mas também provoca surpresa e uma gargalhada final no leitor.