Nas Terras Do João-Sem-Terra

História do Zé Carioca, publicada uma vez só em 1972.

Nosso herói resolve ir pescar em terras aparentemente desabitadas, e coisas estranhas começam a acontecer. Aos poucos, ele vai descobrindo que está às voltas com um povo de nanicos, supostamente humanos, supostamente brasileiros, que falam um dialeto que lembra o “Caipirês”. Aprisionado por essa turminha, ele é persuadido pelo chefe deles a ensinar o Português ao povo.

ZC baixinhos

Passam-se assim três meses, até que um dia ele recebe permissão para voltar. O Problema vai ser fazer a Rosinha acreditar na “história de pescador” (porque afinal, é isso que esta história é, um belo causo de pescador), mas ele vai preparado.

A letra que o Zé está cantando no primeiro quadrinho é de uma marchinha de carnaval de 1952, chamada “Pescador”.

A segunda música que o Zé canta se chama “Esse Mar é Meu” que, em 1972, era novidade. A história completa por trás dessa canção pode ser lida aqui. Ela fala do que foi, talvez, uma das poucas medidas adotadas pelo Regime Militar que foram bem aceitas pelo povo.