Chico Sabido em Fala Coração

Em 1982 o Departamento de Projetos Especiais da Editora Abril escalou papai para “quadrinizar” um roteiro do Fundo de Aperfeiçoamento e Pesquisa em Cardiologia da Sociedade Brasileira de Cardiologia – FAPEC.

A historinha fala ao cidadão dito comum, aquele que não tem os chamados “hábitos saudáveis” nem o costume de praticar atividades físicas, com a intenção de educá-lo sobre como cuidar melhor de si mesmo e evitar doenças, principalmente as coronárias. Se hoje em dia esse ainda é um assunto que precisa ser “trabalhado” junto à população em geral, imagine então como era a situação há mais de 30 anos: simplesmente não havia essa consciência toda.

O interessante é que esta publicação era também, discretamente, parte de uma grande campanha de relações públicas de uma das muitas marcas de margarina que existem por aí e que, todos sabemos, sempre tentaram atrelar a imagem do produto à ideia de um estilo de vida mais saudável. É claro que hoje em dia essa noção é no mínimo controversa, e muitos médicos (como este, e este) são terminantemente contra o consumo desse tipo de produto. Isso não impede, é claro, que as empresas continuem a anunciar a margarina como sendo benéfica à saúde, especialmente para o coração.

A história em si não faz sequer menção a margarinas, muito menos a marcas específicas, e todos os conselhos sugeridos pelos médicos e colocados na história por papai são bastante sensíveis, considerando-se o que a ciência médica sabia naqueles tempos e a obrigatória necessidade de concisão da história em quadrinhos. É possível que papai nem soubesse a princípio que se tratava de uma publicação patrocinada por uma marca de margarina, pois esse nome em particular só aparece ao pé da última contracapa.

Não sei exatamente como esse tipo de história era feito, já que há uma agência de propaganda por trás do processo todo, mas imagino que papai recebeu uma sinopse geral da ideia, provavelmente contendo os principais tópicos a serem mencionados, e foi desenvolvendo a história em cima dessas informações. Como ele era “bom de pesquisa” e gostava de inserir informações úteis/factíveis em suas histórias, certamente não foi difícil para ele desenvolver uma trama ao mesmo tempo didática e leve/divertida.

Mas isso mostra a força e o alcance dos quadrinhos no final dos anos 1970 e início dos anos 1980: as pessoas em geral nem sempre estavam interessadas em ler longos e sérios artigos científicos publicados em jornais (por mais corretos e informativos que fossem), mas sempre estavam dispostas a ler quadrinhos, o que ajudou não somente a popularizar a ideia de um estilo de vida mais saudável, independentemente de como se deve alcançá-lo, mas também a promover algumas mudanças culturais bastante positivas em várias áreas.

1. (Aviso que não recomendo nem desencorajo o consumo de margarinas, sejam quais forem, nem tenho preferência por marcas ou tipos específicos do produto.)

2. (Se alguém souber o nome do desenhista desta história, por favor me informe para que eu possa citar, e obrigada desde já.)

Chico Sabido 00

Chico Sabido 01

Chico Sabido 02

Chico Sabido 03

Chico Sabido 04

 

Chico Sabido 05

Chico Sabido 06

Chico Sabido 07

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s