Taca Sal no Sapo

História da Turma da Patrícia, publicada na Revista Patrícia número 5, em 1987.

Na lista de papai há um (L) antes do nome da história, o que indica que fui eu quem deu a ideia, e foi isso mesmo. Papai gostava de ouvir qualquer nova gíria ou expressão que meu irmão e eu aprendêssemos com os colegas na escola, e na época os meninos de minha escola em Campinas se saíram com essa, para perseguir e fazer bullying com qualquer pessoa que eles não quisessem ouvir.

Patricia sal

Essa pessoa era então tachada de “chata” e de “sapo”, e calada e afugentada na marra sob muita gritaria de “taca sal no sapo”. Era uma maneira muitíssimo antipática e mal educada de se calar os outros, menos “populares” na turma, e ainda tinha o “conveniente” de poder ser passada por “brincadeira”, se a vítima reclamasse. Mas a minha sugestão parou por aí. A história em si é 100% obra de papai.

No universo da Patrícia temos o Sapo Urucubaca, que diz (sim, ele fala) ter sido um marinheiro transformado em sapo por uma bruxa. Como se não bastasse, ele tem fama de ser muito azarado, mais ou menos como um certo membro da família Metralha no universo Disney. E é justamente esse sapo que o menino praguinha chamado Terremoto resolve perseguir, saleiro na mão, aos gritos de “taca sal no sapo”, por puro preconceito e antipatia. É claro que a falta de educação do Terremoto não passará impune no final.

Patricia sal1

A palavra “urucubaca” é sinônimo de “mau agouro”, “azar”, etc. Além disso, papai usa outras expressões populares e mais antigas, mais conhecidas dele, como “sapo de fora não chia”, para enriquecer um pouco mais o tema “sapo” da história.

Mas a verdade é que a mensagem, hoje, é justamente “não jogue sal no sapo”, pois eles são animais inocentes dos nossos preconceitos, e o sal em contato com suas peles de batráquio pode até matar. Fazer isso é uma maldade imensa com o bichinho. Eles são feios, mas não merecem tamanha tortura. E, é claro, também não se deve calar pessoas na marra por bullying, já que isso é uma falta de educação e uma grosseria das grandes.

****************

Já leste o meu livro? Quem ainda não leu está convidado a conhecer minha biografia de papai, à sua espera nas melhores livrarias: Marsupial – Comix – Cultura – Monkix 

***************

Tenho o prazer de anunciar um novo livro, que não é sobre quadrinhos, mas sim uma breve história do Rock and Roll. Chama-se “A História do Mundo Segundo o Rock and Roll”, e está à venda nos sites do Clube de Autores agBook

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s