As Plantas Assassinas

História do Homem Pássaro, de Hanna-Barbera, escrita em março de 1977 e publicada em agosto do mesmo ano pela Editora Abril na revista Heróis da TV número 27.

O título de trabalho que consta da lista é “As Flores Assassinas”. Era comum, por um motivo ou outro, que o nome de algumas histórias fosse alterado na redação, às vezes até mesmo sem consulta ao autor.

Como em provavelmente todas as histórias deste personagem, o nosso Sol e a energia proveniente de sua luz são fatores determinantes para o desfecho da história. Outro elemento que papai usava bastante nesse tipo de trama é o “canhão de raios”, que tanto pode roubar a energia do herói, quanto usar essa energia como arma contra ele, ou até devolvê-la ao herói.

HP Plantas1

Como sempre, todos os elementos do problema inicial se desenvolvem até um desfecho aparentemente lógico. Quando a vilã Medusa diz que trouxe as malignas plantas devoradoras de gente do planeta Plutão, o leitor atento já deveria ficar com a pulguinha amiga atrás da orelha. As perguntas que ele deveria fazer a si mesmo são: “Em Plutão tem vegetação? Assim, tão longe do Sol? E, se houvesse mesmo plantas em Plutão, como é que elas seriam capazes de captar luz solar suficiente para fazer a fotossíntese?”

HP Plantas

Uma vez respondidas essas perguntas, e principalmente a última, fica claro que a ameaça pode conter em si sua própria solução. O princípio, aliás, é o mesmo das atuais tecnologias de armazenamento de energia elétrica produzida por placas fotovoltaicas: as plantas poderiam agir como baterias naturais, das quais o herói poderia então se beneficiar para recuperar suas forças.

Isso, aliado ao fato de que planta carnívora nenhuma mata suas vítimas imediatamente, mas as aprisiona até que morram e sejam digeridas, dá tempo mais do que suficiente para o herói agir e será a ruína dos vilões. Bem feito para a vilã, aliás. De que adianta poder até viajar pelo espaço num piscar de olhos, e não saber nada de botânica alienígena?

****************

Já leste o meu livro? Quem ainda não leu está convidado a conhecer minha biografia de papai, à sua espera nas melhores livrarias: Marsupial – Comix – Cultura – Monkix 

***************

Tenho o prazer de anunciar um novo livro, que não é sobre quadrinhos, mas sim uma breve história do Rock and Roll. Chama-se “A História do Mundo Segundo o Rock and Roll”, e está à venda nos sites do Clube de Autores agBook

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s