Natal Na Floresta

História da Turma do Lambe Lambe, de Daniel Azulay, escrita em julho de 1982 e publicada pela Editora Abril na revista da turma de número 8 em dezembro do mesmo ano.

O Natal é realmente uma festa mágica, e não apenas por causa da religião Cristã. Até mesmo membros de outras religiões acham difícil resistir às suas luzes, seus símbolos e à troca de presentes. Mas a celebração também carrega consigo vários problemas e dilemas que, novamente, pouco têm a ver com religião. Como já vimos em “Um Natal Bem Diferente”, costumes como o pinheiro enfeitado vêm da tradição pagã nórdica, representando a resiliência da vida no auge do inverno.

E se o problema nas histórias Disney tem a ver com as origens da festa, aqui o dilema está em sua adaptação para um ambiente tropical e – ainda por cima – ambientalmente correto. O Professor Pirajá e a Galinha Xicória vivem na Amazônia, com acesso limitado a certos confortos da vida moderna, como TV e coisas assim. Eles têm eletricidade, pelo menos, mas tentam viver sem agredir o meio ambiente. A intenção, é claro, é ensinar aos jovens leitores a ter alguma consciência ecológica.

Não parece, mas este é um problema ecológico sério. Todos os anos, em países como os EUA, milhões de pequenos pinheiros naturais são cortados, montados em bases de madeira e vendidos para servir de enfeite. Enquanto essas árvores são belíssimas e perfumadas, uma vez cortadas é impossível evitar que sequem e morram no processo.

xicoria-floresta

Os mais conscientes as arrancam pela raiz e plantam em um vaso, mas são grandes as chances de que a árvore ainda assim morra no final. Como são poucas as pessoas que podem ter um pinheiro plantado na frente da casa o ano todo só para servir de enfeite no final do ano, resta o problema: o que fazer com milhões de toneladas de árvores secas após as festas? Nos EUA existe inclusive um serviço de coleta de pinheiros secos, e até mesmo uma tentativa de manejo sustentável do material.

Quem opta por árvores e enfeites artificiais pode até estar poupando a vida de uma árvore natural, mas ainda assim está lidando com plásticos, que são derivados de petróleo. Não é a coisa mais “ecológica” do mundo. Há quem faça seus enfeites com galhos já secos, garrafas PET e outros tipos de materiais descartáveis, mas esta também não é a solução perfeita.

Assim sendo, fica a pergunta: como fazer uma festa de Natal sem pinheiro, já que na Amazônia não existe esse tipo de árvore na floresta nativa, e sem cortar nenhuma outra árvore? Natal sem árvore enfeitada dentro de casa ainda é Natal? Quais símbolos dessa festa são indispensáveis, e quais se pode adaptar, e como?

Após a aparição do Papai Noel de verdade, para que se cumpra o costumeiro milagre de Natal que deve acontecer nesse tipo de história, tanto o Professor como a Xicória encontrarão suas soluções criativas para o problema.

xicoria-floresta1

****************

Já leste o meu livro? Quem ainda não leu está convidado a conhecer minha biografia de papai, à sua espera nas melhores livrarias: Marsupial – Comix – Cultura 

A História dos Quadrinhos no Brasil, e-book de autoria de papai, pode ser encontrado na Amazon

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s