A Propaganda É A Alma Do Negócio

História do Peninha, de 1973.

O Peninha é despedido novamente por dormir no horário de trabalho e resolve procurar outro emprego, dando início a mais uma aventura maluca.

As histórias do Peninha como “gênio da propaganda” são recorrentes com papai. Eu sinto muito em “tomar” mais uma história do Julio de Andrade, pois é assim que ela (ainda) está creditada no Inducks, mas o nome dela está na lista de trabalho, e a revista aqui na coleção. Para mim, não há dúvida.

O que acontece, a meu ver, é que há bastante similaridade entre o estilo do Julio e o do meu pai, principalmente porque quando o Julio entrou para a escolinha da Abril papai já era um artista reconhecido lá dentro e uma forte influência.

Uma diferença que eu percebo entre eles é que, com o Julio, os personagens trocam mais sopapos entre si ao longo das páginas do que na maioria das histórias do meu pai. E talvez seja justamente pela quantidade de “patadas” distribuídas liberalmente hoje, desde o primeiro quadrinho, que se deu o equívoco.

De resto, a história é bastante parecida com outra, já comentada aqui, chamada “O Grande Gênio”, que em 1975 coloca o peninha como “criativo” na agência do Pato Eurico. E o erro cometido pelo Peninha é o mesmo: querer usar uma só “fórmula” para todos os produtos, indiscriminadamente. O fato é que não é porque funcionou com um que vai funcionar com todos.

peninha-propaganda

A premissa da “campanha publicitária” é brincar com uma velha expressão da cultura brasileira. “Ele tem cara de quem comeu e não gostou” era algo que se dizia de quem fazia cara feia por estar chateado ou insatisfeito com alguma coisa. Mas, como no Brasil nem todo mundo tinha dinheiro nem para comer (e há quem não tenha até hoje), depois de algum tempo a piada passou a ser “não comeu e não gostou”.

E há também quem tenha aversão a certos ingredientes, como berinjelas, quiabos e coisas parecidas, mesmo sem nunca tê-los provado, e se recuse a comer alimentos feitos com eles. É nesse momento que geralmente começa a pressão de familiares e amigos no sentido de que a pessoa justamente tem de experimentar, fazendo a “propaganda” do alimento para quem não gosta dele.

peninha-propaganda1

A “Agência Maccão” é uma referência à McCann Erickson, uma famosa agência de publicidade dos EUA que está presente em diversos países ao redor do mundo. Aqui no Brasil ela passou por várias fusões, mas continua na ativa.

****************

Já leste o meu livro? Quem ainda não leu está convidado a conhecer minha biografia de papai, à sua espera nas melhores livrarias: Marsupial – Comix – Cultura 

A História dos Quadrinhos no Brasil, e-book de autoria de papai, pode ser encontrado na Amazon

Anúncios

2 opiniões sobre “A Propaganda É A Alma Do Negócio

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s