Um Mistério Muito Louco

História do coelho Escovão, da turma da Fofura de Ely Barbosa, publicada pela Editora Abril na revista da coelhinha número três em agosto de 1987.

Ao colocar o Escovão como detetive particular papai está desenvolvendo ideias que vêm desde detetives da literatura, como Sherlock Holmes, e passam por personagens das histórias Disney, como o Mickey detetive e a Agência Moleza do Zé Carioca.

Em todo caso, ao contrário de outros detetives dos quadrinhos, que não conseguem resolver um caso nem mesmo se a solução estiver bem na frente do nariz deles, o Escovão mata a charada de primeira e em seguida convida o leitor a fazer o mesmo.

O resto das influências vem de Alice no País das Maravilhas, com a representação do Chapeleiro Maluco, o Coelho Branco, o Barrigudinho e a Lebre Maluca. Mas a pista central para o leitor é a de que todos eles, à exceção do Barrigudinho, têm cara de gente malvada.

O leitor mais atento não tardará a associá-los com os vilões da turminha, Capitão Biruta e Tantan, e deduzir que é tudo um plano deles para tentar fazer o Escovão de bobo.

**************

Já leste o meu livro? Quem ainda não leu está convidado a conhecer minha biografia de papai, à sua espera nas melhores livrarias: Marsupial – Comix – Cultura 

A História dos Quadrinhos no Brasil, e-book de autoria de papai, pode ser encontrado na Amazon 

Visitem também o Sebo Saidenberg, na Amazon. Estou me desfazendo de alguns livros bastante interessantes.

Anúncios

No País Das Maravilhas

História do Morcego vermelho, de 1979.

Esta história “faz par” com “Na Terra dos Espelhos”, outra história do Morcego Vermelho que tem como tema os livros de Lewis Carroll, e que foi publicada em 1976.

Desta vez alguém pede socorro ao nosso herói e acusa o Coelho Branco, que está passando correndo, de ter roubado o seu relógio. O Morcego nem tem tempo de ver quem é que está pedindo ajuda, mas, como herói, se lança imediatamente no encalço do acusado, que entra no buraco de uma árvore. Com uma pequena “ajuda” de um pé desconhecido, ele cai no buraco e começa a passar por toda uma experiência no País das Maravilhas.

MOV Maravilhas

Uma vez lá, ele vai encontrando os vários personagens clássicos do livro “Alice no País das Maravilhas”, como o Dodô, o Rei e a Rainha, o Gato Risonho, o Chapeleiro Louco e o exército de cartas do baralho.

MOV Maravilhas1

Mas há algo muito estranho nessa história toda, a começar pelo pontapé que o enviou a essa aventura maluca. Mais uma vez, o leitor se sente convidado a fazer o papel do detetive e tentar entender o que está acontecendo, enquanto o próprio Morcego Vermelho também vai gradualmente resolvendo o mistério e por fim acaba se libertando da situação.

Abaixo Os Inventores

Nesta história de 1972 o Professor Pardal se vê às voltas com um bando de saguis tecnofóbicos, decididos a tentar salvar o mundo da tecnologia e das novas invenções.

Interessante é o surrealismo da história, quase uma “Alice no País das Maravilhas”, no qual o Pardal usa uma máquina encolhedora para ficar pequeno e entrar por um buraco de rato na parede, que dá acesso a uma intrincada rede de túneis onde vivem os saguis que falam, vestem roupas e fazem uso de ferramentas.

No fim o nosso herói convence os saguis a voltarem para as árvores do quintal e também retira da aventura uma lição, a da moderação em todas as coisas.